Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Assisi’

Assisi, ItaliaGiovanni di Pietro di Bernardone, mais conhecido como Francesco, costumava sonhar muito. Sonhos que foram fundamentais para a sua vida.

Nascido em Assis, no centro da Itália em 05 de julho de 1182, ele era muito popular entre os amigos, amava a vida mundana, as extravagâncias, as aventuras e sobretudo as estórias de cavalaria. Desejava ser um herói, tanto que em 1202 alistou-se como soldado na guerra entre as cidades de Assis e Perugia, mas foi capturado, mantido como prisioneiro e doente, retornou à sua cidade um ano depois.

San Francesco giovaneEm 1205, após a sua cura, tentou novamente se tornar um herói engajando-se no exército papal, incentivado por um sonho que tivera, onde alguém lhe levava a um palácio onde se encontrava uma linda donzela, muitas armas e apetrechos de guerra. Porém no caminho teve outro sonho onde uma voz lhe dizia de retornar à sua terra e de interpretar de outro modo o primeiro sonho.

Já em Assis, foi perdendo o interesse pelas farras com os amigos e começou a demonstrar preocupação pelos mais necessitados. Neste período teve sonhos terríveis com uma horrível mulher corcunda e interpretava esta imagem como a sua futura vida de pobreza.

casa san francescoMuitos episódios fizeram com que a sua vida mudasse completamente. Desde o encontro no campo com um leproso até o dia em que enfrentou a fúria de seu pai, um rico negociante de tecidos, após ter vendido por baixíssimo preço vários tecidos da loja para arrecadar dinheiro para a reforma da Igreja de São Damião.

Ao ser acusado pelo pai de estar dilapidando com a sua fortuna, Francesco despiu-se e colocou todas as suas belas roupas aos pés de seu pai, renunciando à sua herança e partindo completamente nu para iniciar definitivamente uma nova vida missionária totalmente dedicada aos pobres, pregando a palavra divina e reunindo em torno de si vários seguidores, dentre eles, jovens que como ele, renunciaram às suas posses.

san francesco e la naturaCom um grupo de seguidores formado, dirigiu-se à Roma para obter autorização do papa para a fundação da sua ordem que estabelecia como norma uma vida de pobreza absoluta aos seus seguidores, como a de Jesus e de seus apóstolos. Após uma recusa inicial, Francesco e seus amigos foram finalmente recebidos pelo papa que só decidiu recebê-los após ter tido um sonho, onde viu a Basílica de São João de Latrão, prestes a desabar, ser sustentada por um humilde religioso que ele acreditou que fosse Francesco. O Papa Inocêncio então, autorizou o grupo a apenas pregar e socorrer os necessitados. Estava assim fundada a ordem mendicante dos frades Menores, mais conhecidos como Franciscanos.

Voltando a Assis instalaram-se em uma cabana no campo, onde se dedicaram aos cuidados dos mais pobres dos pobres, dos leprosos e à pregação. Mas, devido ao crescente número de irmãos que se juntava ao grupo, o abade do mosteiro beneditino do Monte Subásio, lhes cedeu o uso da capela de Porciúncula e de uma terra adjacente.

Santa Clara- GiottoEm1212,chegou à ordem a primeira mulher, Clara d’Offreducci, a futura Santa Clara, fundadora do ramo feminino dos frades menores, as Clarissas. Nessa época, Francesco fez muitos milagres, curando enfermos, expulsando demônios e até pacificando um lobo que amedrontava a região.

Sua fama de santo já se espalhava e mantendo o seu gosto pelas estórias de cavalaria, em 1214 seguiu para o Marrocos para pregar entre os mouros. Foi ao Egito durante a Primeira Cruzada, passou pela Palestina, peregrinando pelos lugares santos até que, após receber a notícia de que a sua comunidade estava em crise, volta a Assis onde percebeu que seus ideais haviam sido abandonados e reinava o caos na ordem dos frades menores.

Francesco e o loboDepois dessa crise, devido à imposição da hierarquia eclesiástica romana e a pressão de parte dos seus companheiros, foram criadas, com a aprovação do Papa, novas regras mais brandas para a Ordem, autorizando inclusive o estudo avançado da teologia e o uso de quaisquer livros. Essas novas mudanças, apesar de refletirem pouco o espírito original franciscano, foram inevitáveis, diante da tensão de um grupo que a cada dia crescia mais.

Francesco no entanto, continuou a sua vida simples de tranquilidade interior, amando todas as criaturas, afirmando a bondade e as maravilhas da criação de Deus, fazendo milagres, percorrendo a região em peregrinação e acolhendo multidões que queriam vê-lo e tocá-lo. De outra forma, realizou o seu antigo sonho da juventude de se tornar um herói.

estigmatização San Francesco GiottoMuitas vezes se embrenhava nas matas para ficar sozinho e meditar. Numa dessas meditações, Francesco teve uma visão: viu um homem com seis asas e pregado a uma cruz. À medida que contemplava a visão e experimentava uma sensação de grande felicidade mas entremeada de tristeza, sentiu que no seu corpo se abriam feridas, tornando-o uma imitação do próprio Cristo crucificado. Foi assim, o primeiro cristão estigmatizado, motivo de muita alegria, mas também de grande embaraço, já que devia esconder as feridas.

Além das feridas que lhes provocava muito sofrimento físico, ficou quase cego, sofreu com dores de cabeça terríveis e sem encontrar alívio nos tratamentos médicos, passou longo tempo sob os cuidados de Clara, e provavelmente ali, compôs o seu poético Cantico di frate sole (Cântico ao irmão Sol).

Basilica di San Francesco a AssisiRodeado de seus companheiros e amigos, faleceu no dia 03 de outubro de 1226. Relatos antigos dizem que neste momento um bando de aves veio pousar no seu telhado e cantou. Menos de dois anos depois, em 06 de julho de 1228 foi canonizado pelo Papa Gregório IX e em 1230 foi inaugurada uma nova basílica com seu nome em Assis, onde estão guardadas as suas relíquias e o seu túmulo, e onde também se pode admirar os belos afrescos de Giotto feitos no fim do século XIII retratando a sua vida.

afresco de GiottoPor causa de seu amor pela natureza é conhecido como o santo patrono dos animais e do meio ambiente. É também o santo patrono da Itália e a sua festa litúrgica é no dia 04 de outubro.

Renovou o Catolicismo da época, tentando mostrar que a religião poderia ser alegria e não opressão, mas menos de um século depois de sua morte, a Ordem dos Franciscanos já era tão rica quanto as outras ordens e muitos de seus membros eram já doutores e ocupantes de importantes cargos na Igreja e universidades.

afreschi di Giotto e CimabuePara Dante Alighieri, Francesco foi “uma luz que brilhou sobre o mundo” e “ Pax et bonum” (Paz e bem), saudação que costumava usar, se tornou o lema da sua Ordem e da cidade de Assis.

 

 

 

Anúncios

Read Full Post »

Era abril de 2006. Primavera em Roma. Flores nas sacadas, na escadaria de Trinità dei Monti e na Vila Borghese. Sol e céu azul. A temperatura na medida certa. Um friozinho bom que aconchegava. Decidimos fazer um passeio de carro pela região da Úmbria, no centro da Itália, única região italiana que não é banhada pelo mar, mas com muitos rios e o lago Trasimeno. Conhecida como “il cuore verde dell’Italia” (o coração verde da Itália), com campos de oliveiras, girassóis, uva, trigo, bosques, colinas e montanhas.

Mapa da UmbriaA primavera é a época ideal para visitar a Úmbria e se deslumbrar com uma natureza exuberante, passear pelas suas pequenas cidades medievais, experimentar o tartufo, ou a tartufata (bem mais em conta), os fungos, queijos, e tantos outros produtos típicos e genuínos, preparados artesanalmente.

Bem, voltando à viagem, pegamos a auto-estrada, mas após alguns quilômetros de congestionamento, resolvemos continuar a viagem por uma estrada secundária respirando o perfume das flores dos campos. Boa decisão. Primeira parada, uma visita rápida ao castelo Rocca Albornoz em Narni , no alto de uma colina, toda florida. 

Continuamos em meio ao verde dominante em direção a Castelo Rocca Albornoz - NarniSpoleto, cidadezinha medieval, sede do “Festival dei Due Mondi”, com eventos vários de música, dança, teatro, cinema e exposições de arte. Depois seguimos para Perugia, capital e cidade mais importante da região. Cidade antiga, rica de monumentos etruscos, medievais e renascentistas, sempre cheia de jovens, pois é também uma cidade universitária. 

SpoletoNo outro dia fomos para Gubbio, local da festa popular “Ceri di Gubbio”, que remonta à Idade Média. Ali passeamos pelo encantador centro histórico e almoçamos em uma fazenda de agroturismo, onde tudo que está no cardápio é preparado com ingredientes produzidos ali mesmo na fazenda. Já voltando para Roma paramos um pouco em Todi e à noite chegamos em Roma. 

PerugiaUm fim de semana intenso, mas renovados pela tranqüilidade da Úmbria. Com um pouco mais de tempo poderia-se visitar outras cidades umbras, como a belíssima Assisi, cidade de São Francisco e de Santa Clara e tantas outras, cada uma com a sua história, o seu patrimônio artístico e cultural, seus castelos, suas igrejas e monastérios, porque a Úmbria também possui uma enorme vocação espiritual com a existência de várias comunidades religiosas, católicas, orientais e tudo isto imerso na natureza. 

GubbioDe volta ao Brasil, um ano depois, recebo pelo correio um livro escrito por Nádia Martins de Almeida, uma professora paulista que ensinou italiano aqui na Itália Amica algum tempo atrás. O título do livro é “Un raggio di Umbria” (Um raio de Úmbria). Fiquei surpresa e de certa forma lisonjeada quando no prefácio, li que Nádia escreveu este livro aqui, durante a sua estadia em Salvador, em momentos de saudades da Úmbria, terra onde ela viveu e vive hoje. No livro ela descreve, transportada pela saudade e pela ternura, momentos de vida de uma família camponesa de Assisi. São recordações de paisagens, personagens e episódios de uma típica vida no campo: a preparação do pão no forno a lenha, o abate do porco em janeiro, evento importante no calendário do campo, pois garante carne para todo o ano e tudo se aproveita do animal, a colheita de aspargos selvagens na primavera, a colheita manual e familiar das uvas em setembro e das olivas em novembro.

Umbria- agriturismoNádia dedica-se à leitura e ao estudo da cultura popular umbra e este seu “Raio de Umbria” nos mostra um “facho de luz” desta região (como diz a própria Nádia) de gente simples, que vive em um equilíbrio harmonioso entre cidade e natureza com tudo de bom que cada uma tem a dar.

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: